Voltar à Home do Blog

Custo de armazenagem: o que é e como ser eficiente na sua empresa

Para aqueles que trabalham em áreas ligadas à logística, saber o que é custo de armazenagem e como lidar com os múltiplos fatores que influenciam esse resultado é uma rotina repleta de desafios. Conseguir reduzir alguns centavos nesse custo pode significar uma economia enorme em médio e longo prazo.

Por essa razão, compreender o que é e como se forma o custo de armazenagem é um dado fundamental, ao qual os gestores devem ter acesso sempre que possível. Além disso, o uso de softwares de gestão e de modernas ferramentas tecnológicas podem auxiliá-lo a obter valores menores, impactando positivamente em toda a cadeia produtiva. Vamos entender um pouco mais sobre esse assunto?

O que é custo de armazenagem?

Como já mencionamos, múltiplos fatores influenciam o chamado custo de armazenagem, que nada mais é do que o preço que se paga para manter produtos armazenados por um determinado período. Podemos resumir, portanto, custo de armazenagem como todo o valor gasto com um produto ou matéria-prima a partir do momento que ele é armazenado no estoque.

É justamente aqui que a equação se torna mais complexa. Cada mercadoria tem as suas peculiaridades e, por essa razão, algumas são mais onerosas do que outras. Por exemplo, quando falamos do armazenamento de produtos perecíveis, como frutas ou mesmo carnes, é preciso levar em consideração itens como a temperatura do armazém, a forma de armazenamento e até mesmo perdas e roubos decorrentes de diversos fatores.

Assim, há que se considerar casos ainda em que há custos de movimentação – o transporte de uma carga de um ponto para outro dentro do mesmo depósito, algo que envolve mão de obra, o custo de equipamentos utilizados, combustível, entre outros -, de iluminação, de ventilação e assim por diante. Nota-se, portanto, que a quantidade de variáveis muda de acordo com a complexidade de armazenamento do produto em questão.

Muito além dos custos aparentes

A lista de fatores envolvidos no custo de armazenagem vai muito além daquela que podemos concluir apenas pela aparência do estoque em si. Por exemplo, nesse cenário podemos considerar o custo financeiro de manutenção de um estoque. É o valor bruto da mercadoria estocada que, caso ela não existisse e o capital estivesse aplicado no mercado financeiro, retornaria para o caixa da empresa, gerando lucros.

Há ainda as pessoas responsáveis pelo processamento dos pedidos e das notas fiscais. Consequentemente, há a posterior separação desses itens para o envio aos consumidores. Nem sempre os produtos já estão acondicionados em caixas nas quais possam ser transportados. Nesse caso, adicionamos ainda o custo com embalagens de transporte.

Por fim, há o custo dos profissionais de logística e administrativos responsáveis por operacionalizar as transações. Em muitos casos, vale lembrar que eles não se dedicam única e exclusivamente a essa área e, por essa razão, é preciso fazer um rateio dos custos com os demais setores envolvidos.

Uma lista mais ampla dos custos de armazenagem poderia contemplar os seguintes itens:

  • Aluguel de armazém (ou tributos anuais em caso de armazém próprio);
  • Energia elétrica;
  • Água e esgoto;
  • Impostos e tributos;
  • Manutenção (limpeza);
  • Depreciação de máquinas e equipamentos;
  • Custo de mão-de-obra;
  • Paletes;
  • Softwares de gestão de estoque;
  • Embalagens especificas de armazenamento;
  • Seguros.

É possível reduzir os custos de armazenamento?

Agora que você já teve uma visão geral do que é o custo de armazenamento e quais são os possíveis fatores que o compõem, é hora de responder à pergunta que gestores, empresários e especialistas em logística se fazem todos os dias: é possível reduzir os custos de armazenamento? A resposta, felizmente, é sim, sempre é possível, de alguma forma ou de outra.

O investimento em novas tecnologias é o primeiro passo para reduzir custos como esses. Softwares de gestão que auxiliem a gerenciar o inventário e a acompanhar a movimentação e a separação dos produtos oferecem para o gestor uma visão em tempo real de como está o estoque. Essa característica é ainda mais importante quando falamos de grandes volumes de pedidos pequenos, pois eles saem com destinos diferentes e precisam ter a mesma agilidade.

Graças às estratégias de armazenamento, é possível direcionar entregas de forma mais lógica e eficiente, reaproveitando rotas e reduzindo custos operacionais. Dessa forma, quanto mais informação sobre os produtos estiverem disponíveis, maiores são as chances de que a sua empresa tome as decisões corretas na entrega e no recebimento dos itens.

Da mesma forma, é fundamental que não apenas a área de armazenamento, mas também os demais setores da empresa estejam integrados sob a mesma base de dados. O departamento de vendas precisa ter uma visão eficiente dos prazos de entrega enquanto o departamento de compras deve conseguir repor os estoques no tempo “ideal”, garantindo assim que o tempo de permanência dos produtos em armazém seja o menor possível.

Dicas simples para reduzir os custos de armazenamento

Sempre há formas de reduzir custos de armazenamento. Cada operação tem as suas particularidades, mas há dicas mais generalistas que podem se aplicar a uma grande parte das empresas. Em se tratando de armazenamento de produtos, você pode:

  • Criar processos mais eficientes visando a redução do lead time;
  • Reduzir os níveis de estoque a partir da análise de histórico;
  • Implemente rotinas de melhorias contínuas;
  • Adote um sistema de controle de estoque integrado aos demais departamentos;
  • Organize o espaço físico do estoque;
  • Faça endereçamento logístico, por meio da identificação de prateleiras e corredores;
  • Automatize a entrada e saída de itens usando tecnologias do tipo RFID;
  • Tenha um controle eficaz sobre produtos de pouco giro;
  • Posicione estrategicamente produtos com alto giro de estoque.

Essas são apenas algumas entre as muitas possibilidades de ação nos seus armazéns que podem resultar na redução dos custos de armazenamento. Como já mencionamos, essa é uma área na qual inúmeras variáveis impactam diretamente na operação e, por essa razão, dependendo do volume de mercadorias com o qual você trabalha, mesmo a simples redução de alguns centavos no custo de um item já é mais do que suficiente para servir como uma motivação para você colocar em prática estratégias como essas.

LEIA MAIS:

Guest Blogger

Our "Guest Bloggers" come from a variety of backgrounds and companies. They can be Sage people, Sage Business Partners, Independent Software Vendors, Thought Leaders or Analysts, that have valuable knowledge, expertise and experience on a variety of different subjects and topics.

Matérias relacionadas

1 agosto, 2018 por Guest Blogger

Estudo de Harvard revela quais mudanças podem fazer um CEO muito mais eficiente

Ocupar o cargo mais alto na hierarquia de uma empresa é um privilégio de poucos. No entanto, um alto salário não vem desacompanhado de muita responsabilidade e trabalho. Não há executivo que não se pergunte como ser um CEO mais …

18 dezembro, 2017 por Guest Blogger

A inteligência artificial vai continuar a sacudir o mercado em 2018

Pode ser que você não tenha se dado conta, mas a inteligência artificial já é parte importante das nossas vidas. Ela está presente no aplicativo que mostra as condições do trânsito na sua cidade e aprende os seus caminhos preferidos. …

19 julho, 2017 por Guest Blogger

Os 4 pilares do mapa estratégico da Indústria até 2022

Entenda os critérios usados pela CNI para determinar quais são os elementos-chave para permitir o crescimento da indústria do país nos próximos anos Não é novidade que a indústria sofreu um dos maiores baques com a crise econômica que afeta …

Product Tour Virtual

Preencha a informação e veja como personalizar o Sage Business Cloud Enterprise Management para trabalhar do seu jeito.

Não saia ainda.

Inscreva-se na nossa newsletter e fique informado.