Voltar à Home do Blog

Quais são os alvos preferenciais dos ramsomwares?

Instituições de ensino, órgãos governamentais, planos de saúde, varejo e finanças: essas áreas precisam tomar mais cuidado com os criminosos virtuais

O termo ramsomware se difundiu na sociedade após a ocorrência do Wanna Cry, que se espalhou no meio deste ano por 150 países e em 250 mil dispositivos. Esse tipo de problema sequestra os dados empresariais, exigindo das companhias o pagamento de um resgate para poder acessá-los novamente.

Em um período no qual as companhias são cada vez mais movidas pelos dados empresariais, esse tipo de ameaça se torna ainda mais preocupante. No entanto, alguns tipos de empresas são mais afetadas do que outras. Em geral, meios que utilizam as informações corporativas ou detêm muitos dados de clientes são os mais visados.

Confira, segundo o BitSight Insights, os principais alvos deste tipo de ataque:

Educação – Universidades e colégios estão no topo da lista de prioridades para esse tipo de ataque. Uma em cada dez instituições sofreu com esse problema em 2016. Há exemplos, inclusive, de instituições que chegaram a pagar o resgate exigido pelos “sequestradores” para recuperar o acesso aos seus dados, como a universidade de Calgary, no Canadá, que teve seu servidor de e-mails afetados.

Governo – Com informações consideradas privadas de muitos cidadãos, as agências são muito buscadas pois, além do resgate, podem oferecer um banco de dados bastante completo aos criminosos virtuais. A polícia do Texas, por exemplo, perdeu oito anos de dados de seu sistema, incluindo informações de câmeras e de vigilância, após uma ocorrência como essa.

Planos de Saúde – Mais uma vez, a criticidade dos dados é buscada pelos criminosos. Um sistema de um hospital, por exemplo, carrega o histórico e as informações dos pacientes, aumentando a probabilidade de pagamento de resgate, especialmente se houver urgência para acessar esses dados – o que pode ser determinante para salvar uma vida.

Varejo e Finanças – Outros dois grupos que são visados em função da privacidade e transtornos causados às empresas. Em ambos, a privacidade de clientes é garantida e, em troca de evitar danos à imagem, os pagamentos podem ser realizados.

Sem garantia

Apesar de muitas empresas pagarem aos criminosos virtuais, não há qualquer garantia de que as informações serão, de fato, recuperadas. E, caso a empresa obtenha sucesso nessa tarefa, muitos dados podem estar comprometidos devido ao ataque sofrido. Portanto, o melhor caminho está em evitar ficar à mercê desses ataques, dando atenção necessária às medidas de segurança e, sobretudo, evitando o Shadow IT.

Guest Blogger

Our "Guest Bloggers" come from a variety of backgrounds and companies. They can be Sage people, Sage Business Partners, Independent Software Vendors, Thought Leaders or Analysts, that have valuable knowledge, expertise and experience on a variety of different subjects and topics.

Matérias relacionadas

18 abril, 2018 por Guest Blogger

Como construir experiências para os funcionários aumentarem a produtividade?

Você já reparou que quando alguns funcionários voltam de férias eles, de alguma forma, têm uma mola nos pés, uma perspectiva pós-férias no trabalho e, às vezes, um sentido renovado de propósito, levando a um aumento na produtividade? E como …

22 julho, 2016 por Rui Nogueira

Cloud pode reduzir mais de 25% dos custos das empresas

Pesquisa realizada com 670 profissionais de TI de dez países mostrou os benefícios da adoção desse tipo de ferramenta em comparação com soluções próprias O uso do cloud computing – soluções em nuvem – vem revolucionando o modo como as …

12 maio, 2017 por Guest Blogger

Perdas diminuem em 2,26% faturamento dos supermercados

Em 2015, as empresas deste segmento deixaram de faturar R$ 6,19 bilhões, especialmente devido a erros administrativos e operacionais Quase R$ 6,2 bilhões deixaram de entrar no caixa dos supermercados do país, em 2015, o que representa 2,26% do faturamento …

Product Tour Virtual

Preencha a informação e veja como personalizar o Sage X3 para trabalhar do seu jeito.

Não saia ainda.

Inscreva-se na nossa newsletter e fique informado.