Voltar à Home do Blog

Governo prepara plano para nortear Internet das Coisas

Objetivo é regularizar aspectos relacionados a protocolos, segurança, estímulos fiscais e financiamento; texto-base deve receber consultas após ser lançado

O governo do Brasil está preparando uma política para nortear a expansão da Internet das Coisas (IOT, na sigla em inglês) no país. O objetivo não é só estabelecer vários marcos, que regularizem protocolos, segurança, estímulos fiscais e linhas de financiamento, mas apontar uma projeção sobre os benefícios potenciais do IOT em diversos setores da economia.

Uma pesquisa conduzida pelo IDC Brasil afirma que 85% dos investimentos em IOT no país serão concentrados em quatro aplicações, com foco especial para a indústria: manufatura, monitoramento de cargas, gestão de frotas e gestão de maquinário produtivo são os principais alvos. Em geral, os propósitos mais visados são: redução de custos, aumento da produtividade e desenvolver novos produtos ou expandir para novos mercados.

Sua empresa quer estar antenada às principais atualizações dos sistemas de gestão? Conheça os benefícios e as vantagens de contar com o Sage X3.

Consultas

A previsão do governo brasileiro é de lançar a política até março de 2017, após diálogos com diferentes setores, como empresas, entidades de classe e ministérios. A partir desse momento, o Plano deverá ficar um mês em consulta pública para receber sugestões e adequações.

Em entrevista ao Valor Econômico, o governo afirmou que a inspiração para o texto-base não veio de nenhum país específico, embora experiências já colocadas em prática tenham servido de apoio.

“Nesse aspecto, estamos todos no mesmo patamar. A Europa e os Estados Unidos também só divulgaram seus planos em 2015 ou 2016”, afirmou Maximiliano Martinhão, secretário de Política de Informática do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações.

Projeções otimistas

As projeções para a tecnologia – considerada uma das mais importantes e promissoras para os próximos anos – são otimistas. Um estudo da Accenture estima que, até 2030, somente no ramo industrial, ela pode colaborar com a injeção de US$ 14,2 trilhões à economia global.

A consultoria IDC calcula que existam 140 milhões de máquinas conectadas entre si no Brasil e um total de 12 bilhões em todo o mundo. Estima-se que os números devem saltar para 400 milhões e 30 bilhões em equipamentos interligados até 2020.

Guest Blogger

Our "Guest Bloggers" come from a variety of backgrounds and companies. They can be Sage people, Sage Business Partners, Independent Software Vendors, Thought Leaders or Analysts, that have valuable knowledge, expertise and experience on a variety of different subjects and topics.

Matérias relacionadas

21 abril, 2017 por Guest Blogger

Quais os principais entraves para a exportação brasileira?

Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostrou quais as principais dificuldades para empresas brasileiras Muitas empresas brasileiras gostariam de exportar mais, abrindo novas oportunidades para seus produtos em outros mercados. No entanto, há uma série de barreiras …

21 maio, 2016 por Guest Blogger

Equilibre seu orçamento no momento de expansão

Saiba quais são os principais custos do estabelecimento em novos mercados O aumento da demanda dos clientes e das vendas não são os únicos aspectos que fazem da expansão da sua empresa uma jogada inteligente. Só porque sua base global …

14 fevereiro, 2018 por Guest Blogger

O futuro da indústria automotiva e o que ela significa para o seu negócio

A indústria automotiva é conhecida por impulsionar a inovação, com os veículos atuais muitas vezes representando o que há de mais moderno em termos de tecnologia nas mãos dos consumidores. De fato, o desempenho parece estar forte, com a Statista …

Product Tour Virtual

Preencha a informação e veja como personalizar o Sage X3 para trabalhar do seu jeito.

Não saia ainda.

Inscreva-se na nossa newsletter e fique informado.