Voltar à Home do Blog

Quatro conselhos para internacionalizar sua empresa

Diagnóstico interno, estabelecer um plano de ação, aumentar a eficiência da gestão e flexibilizar a gestão conforme o contexto do país são algumas das dicas de Rui Nogueira

As empresas contam com grandes vantagens quando buscam se internacionalizar, ganhando um novo fôlego com a expansão do negócio, o que pode se tornar uma verdadeira alavanca para o crescimento. Porém, existe a necessidade de avaliar as condições e as possibilidades para um desenvolvimento sustentável.

A expansão internacional não é uma exclusividade das grandes empresas. Embora as empresas de médio porte não tenham a mesma capacidade econômica e de recursos humanos dos grandes grupos, elas não ficam para trás. Mas antes de fazer investimentos, a empresa deve avaliar a viabilidade. Veja, abaixo, quatro conselhos para o seu negócio.

Expandir para novos mercados pode ser uma solução para o seu negócio. Saiba como fazer isso com controle e segurança.

1. Realize um diagnóstico interno, analisando a viabilidade do projeto

A empresa conta com os meios necessários para avançar e ter sucesso? Uma análise interna permite identificar as forças e as fraquezas, com base no conhecimento sobre os recursos (financeiros e humanos), assim como a capacidade de produção e de logística. De cada dez empresas que exportam no primeiro ano, apenas três devem seguir no segundo ano. A boa gestão e um bom desempenho no mercado nacional são importantes em um mercado internacional mais exigente.

Depois de garantir sua capacidade de desenvolvimento, é preciso definir uma estratégia, analisando vários cenários, selecionando os mais adequados. Uma imersão de alguns dias nos países-alvo auxilia a compreender a realidade do terreno e facilita a identificação de uma rede de apoio.

2. Defina um roteiro para estruturar os processos a implementar

Quais países serão alvo? Responder esta pergunta não é fácil. Há necessidade de avaliar uma matriz que integre diferentes características (geopolíticas, econômicas, fiscais, demográficas e de legislação). Fique em, no máximo, três países para não se dispersar.

Qual o estado do mercado nesses países? Um estudo é obrigatório para compreender as características de oferta e de demanda, identificando como se posicionar na sua oferta de serviços. Há vários cenários possíveis (exportação, franchising, licenças, alianças estratégicas) com viabilidade, levando em conta fatores cruciais para o sucesso.

Essas reflexões servem de base de trabalho para estabelecer objetivos e criar um plano de ação que leve em consideração os riscos. Na sequência, é possível elaborar um plano que avalie as estratégias de marketing, a cadeia de valor das novas atividades e as consequências (financeiras, operacionais) dos ajustes.

3. Garanta bons instrumentos de gestão para aumentar a segurança da atividade

A empresa deve ser capaz de gerir o desempenho dentro de um perímetro cada vez maior e identificar os eixos de rentabilidade. Assim, a escolha por uma solução de gestão escalável e adaptável é fundamental. As possibilidades de implantação em nuvem e de usar as ferramentas de análise e inteligência (relatórios e dashboards), tornam a partilha de informações mais fácil. Encontrar o equilíbrio entre segurança, custos e necessidades é fundamental, assim como as regulações específicas dos novos mercados.

4. Adapte a gestão ao contexto internacional

A gestão do desempenho deve evoluir no sentido de apoiar o desenvolvimento em função da estratégia determinada, dos países-alvo e do ritmo do crescimento. A direção financeira tem um papel-chave na compreensão das especificidades a considerar para gerir as diferenças culturais. Além disso, leve em conta os riscos inerentes ao país (câmbio, por exemplo) para instituir os indicadores de gestão complementares às métricas financeiras tradicionais.

O desenvolvimento de uma empresa de médio porte a nível internacional exige uma abordagem colaborativa entre os vários gestores da empresa, com um objetivo específico e tomando as decisões estratégicas para enfrentar a concorrência internacional.

Rui Nogueira

Matérias relacionadas

30 novembro, 2016 por Guest Blogger

Como otimizar o planejamento e controle de produção

A tecnologia pode contribuir para gerar vantagens competitivas, garantindo o cumprimento dos prazos e otimizando a performance da sua empresa No último artigo, o blog apontou a importância do planejamento e controle de produção (PCP), uma área que envolve praticamente …

6 janeiro, 2017 por Guest Blogger

Seja uma empresa movida por dados

O analytics simplifica a busca por soluções para problemas enfrentados diariamente nos negócios, facilitando a geração de vantagens competitivas A quantidade e a possibilidade de analisar dados estão modificando o mundo dos negócios. A partir de um diagnóstico correto do …

24 julho, 2017 por Guest Blogger

5 fatores a se considerar na hora de escolher um serviço na nuvem

Segurança, escalabilidade, performance, expertise e aperfeiçoamento contínuo devem ser levados em conta antes da contratação Mais de seis em cada dez empresas da América Latina já adotaram algum tipo de serviço na nuvem. Um estudo realizado pela Cisco mostrou que, …

Product Tour Virtual

Preencha a informação e veja como personalizar o Sage X3 para trabalhar do seu jeito.

Não saia ainda.

Inscreva-se na nossa newsletter e fique informado.